Thales Tozatto lança EP gravado no estúdio Versão Acústica

0
1779

O músico e compositor são-joanense Thales Tozatto lança seu primeiro EP. “Transatlântico” tem 5 faixas, gravadas e mixadas em setembro e outubro, no Estúdio Versão Acústica, de Emmerson Nogueira.

É uma obra de arte feita a muitas mãos. À frente, Thales apresenta seu repertório autoral e faz um dueto surpreendente na faixa “Lembrança, que tem a participação de Ramana Dias.

Nos bastidores, os arranjos e a produção contaram com o talento de Emmerson Nogueira, do “maestro” Ricardo Itaborahy e de Aldo Torres nas guitarras.

O resultado você confere logo abaixo

Início

“Há cerca de dois anos eu consegui compor a primeira música de que gostei. Desde então tenho me dedicado, sempre que surge inspiração, a exercitar essa arte de traduzir sensações em sons e poesia, esperando transmiti-las a quem ouve. Isso é a música pra mim”, explica Thales, de 23 anos.

Segundo ele, esse EP é um apanhado das composições que considera terem certa relação entre si.  “Foi realizado com muito carinho por músicos por quem tenho extrema admiração. Apresento-lhes esse Transatlântico que transporta doenças e curas e que não tem mais medo de cruzar oceanos por ser feito de papel”, completou Thales, na descrição do trabalho no Youtube.

Faixas:1. Limbo 00:00 2. Ilha 03:25 3. Cidade 07:45 4. Hiato 12:13 5. Lembrança 16:15

Letras autorais

1.Limbo

Quem é você pra me jogar nesse limbo de não saber o que há de tão mal em mim? Quem é você pra me deixar por aqui sem ver porquê e não me enxergar nesse falso jardim? Quem é você pra me tirar desse mar e de uma vez num horizonte sem paz sumir? Mais uma vez vou procurar quem me largou no meu pior lugar e nem mesmo assim mal lhe julgar. Carrego em mim o seu último olhar.

2.Ilha

Infinda rota Um morro calmo Os pés descalços Leves Trajeto raso Um passo alto Dado em pedaços Breves Sereno cravo Um novo alvo Uma morte que Sossegue Eu quis me inventar onde só eu vi Não deu pra te achar no lugar que eu fiz Um campo vasto Um pasto seco Carneiro sem Destino Um teto calvo De um solo jovem E um caminhar Aflito A terra à vista De um velho barco Desconhecida Ilha Eu quis me inventar onde só eu vi Não deu pra te achar no lugar que eu fiz

3.Cidade

O caos no chão da cidade sobe e invade os abrigos os ritos sozinhos carros traçam retas infinitas sem querer ao destino chegar e quando o sol já não te vê por trás dos prédios vem o tédio e lhe traz o suor de uma vida pra sempre adiada esperando qualquer coisa que faça o amanhã nascer melhor Não se entrega não isso vai passar chama teu irmão gente é pra abraçar Pelo vidro as pessoas amargas carregando suas marcas nas costas do outro lado um tumulto de ideias e cansaços que seguem trombando e quando a lua não esconde os teus medos um desejo te faz suspirar de outra vida um pouco menos arrastada ou pelo menos que esse tempo não demore e você possa descansar. Não se entrega não isso vai passar chama teu irmão gente é pra abraçar

4. Hiato

Esse medo de embarcar não vai me prender aqui O sossego no quintal não vai se fazer sem mim O segredo é lembrar com cuidado do que foi Eu não quero me arrepender de esperar o depois Só passei pra falar dos planos que eu fiz pra nós Não demoro a voltar pros nossos velhos lençois Ainda trago pra te dar os lugares que eu pisei Não se assusta se eu chorar ao te ver outra vez E por mais que eu saiba que o tempo cura a agonia que me abala é essa espera que perdura 

5. Lembrança

Quando eu achei que me pedra meu peito fosse virar você chega de um jeito e me lembra o sujeito que eu esqueci lá num fundo de armário no meio dos cacos que alguém deixou quebrar e eu já nem me lembro mais como é amar chega com calma me investiga a alma e espera eu me acostumar olha mais de perto e vê que nesse deserto você pode se aconchegar não desiste não que aqui existe um coração querendo ressuscitar você nem pode imaginar como eu já soube amar”

 

Da redação

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Entre com seu nome por favor